Voltar para listagem
Autor(a):

Data do Post
14/02/2019
/Papo médico

Afinal, o câncer de mama é hereditário ou não?

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), o câncer de mama é a doença que mais acomete as mulheres no Brasil e no mundo — depois do câncer de pele não melanoma.

Esses dados assustam as mulheres, principalmente aquelas que já têm casos na família. O câncer hereditário é realmente uma das formas da doença, mas é preciso destacar que não é a única. Dessa forma, se sua avó, mãe ou tia enfrentou a enfermidade, a recomendação é antecipar e redobrar os cuidados preventivos.

Neste post vamos explicar como a genética atua quando se trata de câncer de mama. Continue a leitura e tire todas as suas dúvidas!

 

Quais são os fatores de risco para o câncer de mama?

Muita gente tem grande preocupação com o câncer hereditário, no entanto é importante salientar que o aspecto genético é apenas um de uma lista de fatores de risco para o câncer de mama, que inclui:

 

Quando é preciso atenção para a hereditariedade da doença?

O câncer hereditário corresponde a 5% a 10% dos casos da doença de acordo com o Inca. Os fatores considerados hereditários e/ou genéticos para o câncer de mama são:

Mulheres que apresentam um ou mais desses fatores são consideradas com risco elevado e, dessa maneira, precisam fazer um controle preventivo mais rigoroso e antecipado.

É importante conversar com o médico para saber qual deve ser a conduta mais adequada para cada caso — de acordo com o histórico do câncer na família.

 

Como fazer a prevenção?

É fundamental que todas as mulheres — independentemente de ter histórico familiar da doença — realizem a prevenção. A recomendação é fazer atividade física regular, ter uma alimentação nutritiva e balanceada e evitar bebidas alcoólicas. A amamentação também é uma forma de se prevenir contra o câncer de mama.

Além disso, as mulheres devem conhecer seu corpo e realizar mensalmente o autoexame das mamas para que consigam notar qualquer anormalidade. Fazer a mamografia anualmente depois dos 50 anos (ou antes, no caso de mulheres com risco elevado para a doença) também é essencial para o diagnóstico precoce e aumento das chances de cura.

Agora você já sabe o que caracteriza o câncer hereditário quando se trata de câncer de mama. Quem tem histórico familiar da doença deve redobrar os cuidados preventivos, porém precisa saber que essa é apenas uma das causas para o surgimento da doença.

Gostou das nossas informações? Então compartilhe este post em suas redes sociais para que mais mulheres entendam melhor os aspectos genéticos relacionados ao câncer de mama!