Voltar para listagem
Autor(a):

Data do Post
29/12/2017
/Notícias

Nova tecnologia

Um aparelho que parece uma câmera fotográfica especial pode ser a nova esperança contra o câncer de mama. O aparelho consegue localizar uma predisposição à doença cerca de 10 anos antes do tumor começar a se desenvolver. A nova tecnologia está sendo estuda por especialistas do Programa de Mestrado e Doutorado de Engenharia Biomédica da Universidade Anhembi Morumbi.

A câmera utiliza o método conhecido como termografia, que utiliza raios infravermelhos para analisar a temperatura do corpo e forma um mapa de calor. “Ele é capaz de identificar a presença de um tumor devido a emissão de temperatura do mesmo ser diferente da temperatura do seio normal”, explica o professor Renato Zângaro.

Diferentemente dos tradicionais exames, a técnica é indolor e não invasiva, pois não exige que o seio da paciente seja prensado. O resultado basicamente é uma fotografia do seio. De modo geral, mulher desde os 40 anos devem fazer a mamografia todos os anos, porém muitas deixam de fazer por conta da dor durante o procedimento.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), no Brasil, surge aproximadamente 60 mil novos casos de câncer de mama por ano. Por isso a importância de desenvolver técnicas que possam antecipar o diagnóstico. “Hoje, nós estamos criando uma base sólida de conhecimento para que a técnica seja bem aplicada e, no futuro, há essa previsão de antecipar em cerca de 10 anos o diagnóstico de câncer de mama”, explica o professor Leandro Procópio Alves, um dos cientistas que trabalha com o projeto.

A inovação ainda está em fase de teste no país e não faz parte ainda do protocolo tradicional de diagnósticos. “Todo desenvolvimento de uma técnica nova leva muito tempo para chegar até o usuário final, que é o paciente. Nós, como cientistas, estamos cuidando de ter o melhor resultado, a melhor tecnologia aplicada para passar para o Governo”, completa Procópio.

Fonte: http://bit.ly/2AQInxR