Voltar para listagem
Autor(a):

Data do Post
11/06/2017
/Leis e Advocacy

Conferência Estadual de Saúde das Mulheres - CESmu 2017

Vinte anos separam a 1a da 2a Conferência de Saúde das Mulheres, CESmu. Um tempo imenso se considerarmos que a integralidade da saúde feminina é de importância fundamental para a ecomomia e o desenvolvimento do país. 

Para entender como e por que acontece uma Conferência de Saúde precisamos primeiro entender o que é um Conselho de Saúde e o motivo dele existir. O conselho é uma ferramenta social de controle das propostas e da execução da saúde nos municípios e estados. No Rio de Janeiro, a Fundação Laço Rosa, através da sua Presidente Voluntária Marcelle Medeiros, ocupa um assento no conselho que tem como função fiscalizar e deliberar junto a Secretaria Estadual de Saúde assuntos de relevância estadual. Ter um assento no conselho é ter os olhos atentos para a causa do câncer de mama e brigar para que no Plano Estadual de Saúde os investimentos necessários para garantir o acesso e o tratamento não faltem. Recentemente o Plano Estadual de Saúde, 2016-2019, foi contestado por não ter uma única linha dedicada ao câncer de mama e segue o questionamento para que a atenção das mulheres não seja negligenciada. 

As Conferências Estaduais reúnem propostas feitas através de rodas de conversas e conferências livres dos municipios em grupos de trabalho para decisão em plenária sobre quais propostas serão apresentadas em Brasília na Conferência Nacional, em Agosto desse ano. Além das propostas, há a eleição dos delegados (representates das unidades municipais) que representarão o Estado do Rio de Janeiro e defenderão as propostas votadas e aprovadas na Conferência no âmbito federal. 

No discurso de abertura, o atual Secretário de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, Sr. Luiz Antônio Teixeira, falou sobre os planos de ampliar a cobertura de mamografia e a biopsia no estado. Nos chama atenção o discursso do Secretário uma vez que a Fundação Laço Rosa tenta incansavelmente agendar uma visita ao gabinete para falar sobre a situação do câncer de mama no Estado e os gargalos aonde podemos ajudar (sem solicitação financeira do Estado) e nunca há espaço para nos receber. Esperamos realmente que não fique no discurso e que parta para a ação, com ou sem a ajuda das lideranças estaduais de câncer de mama, entre elas a Fundação Laço Rosa. 

Para conhecer as propostas acesse: http://www.conselhodesaude.rj.gov.br/noticias/460-encaminhamentos-da-2-conferencia-estadual-de-saude-das-mulheres.html