Linfonodos

Linfonodo

A informação sobre oestado dos linfonodos axilares é essencial para o planejamento terapêutico do câncer de mama. Antes de se iniciar o tratamento é fundamental saber o tamanho do tumor em cm (T),  a presença ou não de comprometimento dos linfonodos (N) e se existe ou não metástases em órgãos a distância (M).

As informações sobre o estado dos linfonodos são obtidas através do exame cuidadoso das fossas supra claviculares e regiões axilares.

Uma vez que não encontre suspeita de comprometimento ao exame clínico, estes são classificados clinicamente como N0.

Além da informação clínica é necessário que se tenha a informação histológica, ou seja, que o linfonodos seja examinados em microscópio e  o médico patologista descreva que não observou células tumorais no mesmo, visto existir uma discordância de até 30% entre o exame clínico e a análise histopatológica.

A técnica da biópsia do linfonodo sentinela é a maneira empregada para melhor identificar o comprometimento dos linfonodos, com maior precisão e menor dano a paciente.

Trata-se da injeção de um corante na mama, que pode ser um corante azul, ou um marcador radioativo, ou a combinação de ambos. Estes caem na circulação linfática da mama e drenam para o primeiro, ou primeiro grupo de linfonodos axilares.

Utilizando-se a técnica do azul, identifica-se na região axilar um ou mais linfonodos corados em azul. Com o corante radioativo, identifica-se através de um aparelho, denominado Gama Probe, a captação do técnico, expressada em número e através da emissão de um sinal sonoro.

Uma vez que o linfonodo sentinela foi identificado, este é retirado e enviado ao patologista que o examina e informa sobre o comprometimento ou não.

Atualmente não se recomenda rotineiramente a retirada completa doslinfonodos axilares exceto nos casos onde demonstre-se comprometimento maciço clinico ou histológico dos linfonodos, ou comprometimento de 3 ou mais linfonodos, ou mesmo comprometimentondos linfonodos em pacientes que não deverão receber radioterapia após a cirurgia.

Estas atualizações possibilitaram melhor informação com menor dano às pacientes.