Como ajudar?

Quando descobrimos que algum parente, amigo ou conhecido está com câncer,normalmente não sabemos muito como agir diante dessa situação delicada. Se para nós é
muito difícil, é ainda mais para quem está com a doença. Cada um vai reagir de uma maneira, mas é preciso saber algumas coisas para conseguir ajudar deixando a situação
mais leve.


Não pressione a pessoa para falar do assunto, deixe ela digerir no tempo dela todas as informações de forma livre, sem se sentir sufocada. Converse sobre outros assuntos, fale sobre coisas boas. Quando ela sentir que deve desabafar, ela o fará. Quando esse momento chegar, ouça tudo o que ela tem a dizer calmamente, sem interromper. O
momento é muito difícil e ela precisa despejar tudo que está lhe afligindo.


Esteja sempre por perto, mesmo que não falando nada. Se mostre presente mas não fique muito em cima perguntando coisas. Verifique se está na hora de comer e leve alguma coisa,sendo sempre pró-ativo.

Não fique comentando sobre situações alheias de pessoas com a doença e se tudo ficou bem ou mal no final. Cada caso é um caso e cada um possui a sua história.

Se a pessoa estiver muito desanimada e querendo ficar apenas no seu canto deitada, leve-a para fazer uma caminhada, sair, respirar novos ares, ver pessoas e a natureza. É
importante que a pessoa não fique se sentindo isolada em um mundo triste.

Se por acaso a pessoa ficar agressiva e tomar atitudes que não são normais dela, seja compreensivo e não leve para o lado pessoal. Ela está muito fragilizada e esses picos de humor irão acontecer devido à tudo que ela está passando.

Após o 3º ou 4º mês da descoberta do diagnóstico começa a fase em que a pessoa vai precisar de mais ajuda, porque todo mundo volta à sua rotina normal e se afastam. A
pessoa vai estar mais fraca fisicamente e emocionalmente, necessitando de muito apoio.Não se julgue por ter dito alguma coisa errada ou que machucasse. Todos estão
aprendendo a lidar com toda a situação, então os erros são comuns.


Sempre que puder faça a pessoa dar boas gargalhadas, apresentando programas humorísticos ou qualquer peça de comédia. Como a pessoa está debilitada, elevar o humor
é um grande remédio.

Leve ou busque nas sessões de quimioterapia, reveze com outros familiares. É muito importante que a pessoa se sinta querida e amada.Se a pessoa for um(a) filho(a), sabemos o quanto é complicado. Dê todo o amor e carinho que você é capaz, faça aqueles mimos que você sabe que ele(a) gosta, dê o colo que só um pai ou uma mãe sabe dar. Não transpareça tristeza e nem sofrimento. Os sorrisos são muita força para seguir em frente.


A medicina está muito avançada, mas ela por si só não é o suficiente para o caminho da cura. O amor e o carinho dão forças e ânimo para superar as batalhas mais difíceis da vida. 

Não se afaste. Fique perto, mesmo que em silêncio. 

Seja positivo, não importa a gravidade do paciente!