Beleza

 

O câncer de mama é uma doença que atinge as células mamárias e, por isso, o objetivo da quimioterapia é destruir essas células doentes que estão alteradas. No entanto, a quimioterapia tem efeito sistêmico, ou seja, além de agredir e destruir as células cancerígenas também pode atingir células sadias do corpo todo nesse processo. Consequentemente, podem ocorrer os efeitos colaterais indesejáveis, incluindo as alterações cutâneas, nos cabelos e nas unhas.

O desgaste físico e o estresse emocional ajudam a acelerar o envelhecimento da pele devido à intensa liberação de radicais livres e de mediadores hormonais e inflamatórios que causam o envelhecimento celular.

Após o tratamento do câncer de mama, o dermatologista, juntamente com o acompanhamento do oncologista, poderá indicar tratamentos para o rejuvenescimento da pele facial. 

Já que deseja melhorar o aspecto das rugas, dos sulcos profundos do rosto e recuperar o volume facial, a especialista indica o preenchimento com ácido hialurônico. “O método atua na reposição volumétrica e redefinição dos contornos faciais, com melhora também das rugas profundas”, revela. E, para as rugas de expressão – aquelas causadas pelo movimento dos músculos da mímica facial –, indica-se a aplicação da toxina botulínica tipo A, a fim de promover um relaxamento harmônico da musculatura mímica, suavizando as rugas dinâmicas e deixando o rosto com aspecto mais descansado.

A fragilidade da pele, cabelos e unha após o tratamento de câncer também é um fator que preocupa muitas mulheres. Embora os efeitos em cada organismo sejam diferentes, inevitavelmente o tratamento deixa marcas agressivas na saúde dos cabelos e pele que requerem cuidados especiais. Com cuidados necessários é possível reverter esse quadro.

Pele: a quimioterapia bloqueia as células de renovação, de modo que, temporariamente, as células perdem a propriedade de reprodução. Isso faz com que o envelhecimento celular aconteça mais precocemente durante o tratamento contra o câncer. O resultado direto na cútis é uma pele ressecada.
Portanto, no tratamento para resgatar a beleza da pele é fundamental cuidar da hidratação nas camadas mais profundas. A quimioterapia deixará a pele extremamente sensível e mesmo a pouca exposição solar já pode afetar, deixando a pele queimada ou com manchas. É fundamental o uso de protetor solar, lenços, chapéus e cuidados para pele sensível. 

Cabelos: O processo de quimioterapia bloqueia as células de reprodução no bulbo capilar e, portanto, haverá uma queda capilar mais intensa. Os folículos levam os fios para fase de queda, conhecida como efluvio telógeno. Além de grande perda capilar, o brilho e a maciez dos cabelos também serão prejudicados. Com interrupção do tratamento, o folículo volta a produção normal de fios e consequentemente normaliza a produção sebácea, ou seja, melhora a maciez e brilho do fio capilar. Caso tenha acontecido perda total dos fios, é mandatório haver uso de protetor solar no couro cabeludo, quando houver exposição a radiação solar. Este deve ser um produto oil free ou a base de água, para não deixar a área muito “melada”, pois isso provoca dificuldade de aderência ao uso do protetor. Quando os fios voltam a nascer, o protetor capilar (filtro solar capilar) deve ser empregado diariamente.
Existem também complexos vitamínicos que ajudam a aumentar a espessura do fio capilar, bem como acelerar o crescimento. E os tratamentos injetáveis, como a mesoterapia capilar ajudam a intensificar a velocidade de repilação (nascimento de novos fios) e a espessura dos fios. Para estes casos, não deixe de consultar um profissional.

Além de cuidados específicos para pele e cabelos, a hidratação em geral deve ser realizada de dentro para fora. Portanto, é muito importante beber bastante água e manter uma alimentação saudável e balanceada.